Ayrson Heráclito

Ayrson Heráclito

Artista visual, curador e professor. Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC São Paulo (2016), Mestre em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia – UFBA. Professor do Centro de Artes, Humanidades e Letras – CAHL da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB. Suas obras transitam pela instalação, performance, fotografia e audiovisual, lidam com frequência com elementos da cultura afro-brasileira e suas conexões entre a África e a sua diáspora na América. Participou de coletivas como Afro-Brazilian Contemporary Art, Europalia. Brasil, Bruxelas, Bélgica (2012); Trienal de Luanda, Angola (2010); e MIP 2, Manifestação Internacional de Performance, Belo Horizonte (2009). Possui obras em acervos a exemplo do Musem der Weltkulturen em Frankfurt, Museu de Arte do Rio MAR, Museu de Arte Moderna da Bahia e Videobrasil. Foi curador-chefe da 3ª Bienal da Bahia e recebeu o prêmio de Residência Sesc_Videobrasil [Raw Material Company Senegal]. Seus trabalhos foram apresentados em individuais na Bahia, mostras, festivais e Bienais internacionais. Recentemente, em 2015 foi homenageado na Bienal de fotografia de Bamako, Mali e indicado para o prêmio Novo Banco Photo 2015 no Museu Coleção Berardo em Lisboa, com o projeto Os Sacudimentos a reunião das margens atlânticas. Sendo um dos artistas brasileiros convidados para participar do projeto Oito Performances (2015) com curadoria de Marina Abramovic, Lynsey Peisinger e Paula Garcia no Sesc Pompeia. O artista também foi indicado para o prêmio PIPA nas edições de 2012, 2015 e 2016. Nos trabalhos de Heráclito encontramos dendê, a vida no Brasil-Colônia, charque, açúcar, peixe, esperma, sangue e saliva, corpo, dor, arrebatamentos, apartheids, sonhos de liberdade e rituais de cura.